Até pouco tempo atrás era só um bebê, totalmente dependente, e com apenas uma forma de comunicação: o choro. Os primeiros dias, de aprendizado e adaptação, pareciam que não teriam fim. Mas como passou rápido, não foi? E, em um piscar de olhos, já é hora de matricular o filho na escola.

As experiências e aprendizados nos primeiros anos de vida de uma criança, fase também conhecida como primeira infância, são o fundamento e construção da base para toda a vida. A atuação dos pais é fundamental nesta fase e devem ser complementares ao papel da escola.

Uma pesquisa no Reino Unido de 2003 apontou que o envolvimento dos pais na educação infantil é o fator mais associado ao bom desenvolvimento educacional de uma criança aos 10 anos de idade – o que, por sua vez, é altamente associado com sucesso em outros estágios da vida.

Esta mesma pesquisa aponta que o envolvimento dos pais é um fator mais impactante do que aspectos como baixa renda, ambiente escolar e/ou a influência dos colegas.

Antes de ser inserida no ambiente escolar, a família é o principal canal de socialização e aquisição de conhecimentos para a criança.

Por meio exclusivo deste contato, são transmitidos e construídos normas, princípios e valores.

Com a adição do universo da escola, o convívio com professores e com outras crianças se agregam como parte deste processo de construção.

Não se trata de uma substituição em que os pais dão lugar para a escola, mas sim uma importância compartilhada. Por mais atenta e mais instigante que seja o trabalho da escola na educação infantil, ela terá um alcance limitado sem o devido suporte da família.

Desta forma, da mesma maneira que os adultos oferecem a mão como apoio para os primeiros passos da criança, o envolvimento e participação dos pais na educação dos filhos é fundamental – um suporte e porto seguro para o seu desenvolvimento, amadurecimento e consequente autonomia.

O papel dos pais

É importante ter em mente que o processo educacional vai muito além da transmissão de novos conhecimentos às crianças, envolvendo também fatores físicos, psicológicos, socioculturais e o desenvolvimento de competências.

Assim, na educação infantil, a escola já irá trabalhar capacidades básicas, como os princípios para a estruturação da leitura, escrita e raciocínio lógico-matemática, mas também elementos como coordenação motora, socialização, resolução de problemas, confiança e segurança emocional.

Visto desta forma, é fácil compreender que existem muito elementos em comum do que é trabalhado pelos pais no ambiente familiar com o que é desenvolvido dentro da escola.

Com a aproximação dos pais do cotidiano escolar da criança, torna-se mais fácil a continuação, dentro de casa, do que é aprendido na escola e vice-versa.

Pais são uma grande influência no cotidiano dos filhos, pois rotineiramente transmitem conhecimento de forma estruturada (informações objetivas) ou não (como atitudes e exemplos).

No encontro diário com o ambiente escolar, algumas relações (muitas delas novas para a criança) são estabelecidas e, neste contexto, princípios, valores e habilidades serão mediados e norteados pelos educadores.

Isto torna mais clara a importância da presença, parceria e constante diálogo entre a família e a escola.

É fundamental que nos dois ambientes ocorra uma sinergia acerca do que vem sendo trabalhado na formação da criança.

É por isso que muita atenção deve ser dada na escolha da escola, sendo avaliado se os valores e a forma de pensar da família e da escola são compatíveis, tornando essa interação mais fluida.

Como os pais podem participar?

Todos nós sabemos que as novas demandas do mercado de trabalho fazem com que as atividades do escritório não raro extrapolem o horário comercial. Isso faz com que o equilíbrio entre o lado profissional e familiar seja ainda mais delicado.

No entanto, a participação dos pais no processo educacional vai além da presença física ou do dispêndio de várias horas ao dia junto à criança e passa tanto pelo cotidiano dentro do ambiente familiar quanto pela aproximação com a escola.

O primeiro passo neste processo é a criação de um ambiente de aprendizagem doméstico

Uma família cria um ambiente de aprendizagem quando estimula a leitura, faz visitas a livrarias, bibliotecas e museus, vai ao teatro, assiste filmes, séries, documentários e vídeos educativos, estimula a pintura, o desenho e as brincadeiras.

Este é um ponto de muita importância na educação infantil e que foge do controle da escola. Um ambiente de aprendizagem doméstico está diretamente relacionado à maior socialização, cooperação, confiança e desenvolvimento cognitivo das crianças.

O segundo passo é aproximar-se da escola durante o dia-a-dia da participação da criação, da forma como for possível

Eventos acadêmicos, como Exposições Pedagógicas, Mostras de Artes, Jogos Internos são projetos de grande envolvimento para o seu filho, além de uma oportunidade para observar como ele se envolve e se relaciona dentro da escola.

No entanto, é no cotidiano que essa presença faz mais diferença e podem ser exercidos com alguns hábitos incorporados à sua rotina:

  • Demonstre interesse ativo na vida escolar através de perguntas chave, como:  “Como foi a aula hoje? Quais as novidades? Trouxe alguma atividade para casa?” Como estão seus amigos? E o(a) professor(a)?;
  • Mantenha boa comunicação com professores e equipe pedagógica, fazendo com que as informações fluam entre a casa e a escola. Esteja atento à agenda e aos comunicados da escola e faça contato direto sempre que tiver uma oportunidade;
  • Faça questão de saber o nome dos amigos mais próximos dentro da escola e busque o contato dos outros pais. A rede formada pela comunidade escolar pode ser uma boa forma de ajudar uns aos outros, trocar informações e planejar atividades dentro e fora da escola;
  • Algumas mães e pais muitas vezes formam grupos em redes sociais para compartilhar um pouco sobre as atividades e dinâmicas da turma. Isso facilita a integração com a educação da criança e sua convivência no ambiente escolar;
  • Visite o site da escola e suas redes sociais periodicamente, pois se deseja envolver-se com o universo do seu filho, você precisa conhecê-lo.

Os benefícios são em longo prazo

Os benefícios da parceria entre a família é a escola na educação infantil já são enraizados na literatura de pedagogia. Na superfície, crianças que possuem suporte doméstico ao aprendizado apresentam melhores indicadores educacionais em toda a vida escolar.

Indo um pouco mais fundo, os impactos duradouros dessa colaboração envolvem o desenvolvimento de atributos e competências sociais e intelectuais que se irá carregar ao longo de toda a vida, como:

  • Confiança e autoestima: causado pelos melhores resultados adquiridos na escola e o pelo incentivo dos pais;
  • Segurança nas relações sociais: o convívio na escola é uma ampliação da sua rede de relacionamentos. Saber que seu principal laço afetivo, a família, está presente fortalece suas habilidades sociais;
  • Valorização da educação: a importância dada ao processo educacional cria um senso de prioridade de forma duradoura, incentivando bom desempenho;
  • Desenvolvimento do autocontrole: a capacidade de organizar prioridades e responsabilidades, entendendo a importância de separar momentos de lazer puro das obrigações do cotidiano;
  • Auto-suficiência na aprendizagem: a capacidade de dominar conteúdos de forma independente (sem auxílio de professores) é uma das competências mais importantes ante a velocidade das mudanças no século XXI. O acompanhamento dos pais nos primeiros anos da vida acadêmica é fundamental no desenvolvimento dessa habilidade, que deve ser reforçada ao longo dos anos, provendo mais responsabilidades e autonomia conforme a criança se desenvolve e se mostra mais madura;

 

 

A importância dos pais em todo o processo educacional nunca deve ser subestimada.

A colaboração, o diálogo e a aproximação entre os pais e a escola são fundamentais para que a criança atinja bons resultados acadêmicos, e também para que tenha um bom desenvolvimento cognitivo e social.

E você? Sente que participa ativamente na educação dos seus filhos? Poderia melhorar de alguma forma seu ambiente de aprendizagem doméstico? Comente sobre sua experiência abaixo, compartilhe esse textos com seus amigos e engaje-os na discussão. Aprender com a experiência dos outros é sempre uma forma de crescer!