Não é só impressão sua. O mundo de hoje é muito mais rápido do que o de 20 anos atrás. As tarefas do dia a dia são muito mais dinâmicas e é cada vez mais difícil se concentrar em uma única função.

Se para adultos conseguir meia hora de trabalho focado já é algo raro, este desafio é ainda maior para crianças cheias de energia, curiosas e que se entediam fácil.

Fazer com que uma criança consiga se concentrar em sala de aula, no dever de casa e na leitura de um livro é um desafio que muitos pais têm em comum – não, você não está sozinho.

Tarefas muito repetitivas ou monótonas (como a forma tradicional de estudar) são um desafio extra para crianças. Lembre-se da sua própria experiência estudando enquanto criança. É preciso paciência e atenção para evoluir nesta questão.

Trabalhar a concentração nos estudos é possível através de exercícios, estratégias e hábitos. Aqui vão algumas maneiras de exercitar esta concentração e que podem atingir muito resultado.

Insira prática de exercícios na rotina das crianças

Fazer exercícios regularmente é algo que faz bem para a saúde física e também mental. Diferentes estudos recentes corroboram esta ligação, mas um estudo da Universidade de Illinois realizado em 2014 encontra um determinante direto entre a prática diária de exercício e a concentração.

O estudo acompanhou 221 crianças entre 7 e 9 anos de idade. As crianças do grupo que realizavam cerca de uma hora de exercícios físicos em grupo por dia (num intervalo de duas horas, contando descansos) melhoraram suas respostas em testes de habilidade cognitiva duas vezes mais do que as crianças que não praticavam exercício regularmente.

O aspecto coletivo da atividade também tem um impacto positivo na socialização e comunicação, algo que estimula o desenvolvimento cognitivo das crianças.

Como fazer isso na prática? Garanta que seu filho tenha a possibilidade de praticar exercícios no dia a dia, seja na escola, em academias de esporte ou mesmo com os colegas. Não pense o exercício físico como uma distração dos estudos, mas uma forma adicional de melhorar suas capacidades cognitivas.

Reduza as distrações no ambiente de estudos

É fácil para a criança perder a concentração quando muitos elementos competem por sua atenção. Seja o cachorro da família por baixo da mesa, um passarinho na janela, uma notificação num tablet, um irmão jogando vídeo game, diversas coisas podem distrair uma criança.

Muitas crianças e adolescentes hoje tem acesso ao computador ou celular durante os estudos – as vezes, o estudo acontece através destes! Esses dispositivos são excelentes fontes de informação e complementação da aprendizagem.

Contudo, eles também são uma grande fonte de distração, com notificações disputando a atenção a todo o instante. Por exemplo, um estudo de 2012 revelou que adolescentes conseguem em média manter a concentração por cerca de 3 minutos em uma tarefa importante antes de serem distraídos por notificações.

Busque manter o ambiente de estudos o mais clean possível, de forma que a atenção recaia diretamente sobre o aprendizado. Quanto as distrações eletrônicas, organize pausas de 5 minutos para checar o celular ou computador a cada período de concentração intensa de 15 a 30 minutos.

Desperte a curiosidade

Não há nada chato acerca de aprender algo. O problema é como esse aprendizado se apresenta. Se a criança enxerga o estudo como uma obrigação tediosa e intangível, sua tendência é evitar o processo, buscando sempre otimizar atividades que considere prazerosa.

Usar a curiosidade das crianças é fundamental. Elabore perguntas práticas e interessantes a partir do conteúdo para ativar a curiosidade antes do estudo e use o conteúdo para responder curiosidades que eles possam ter sobre o mundo.

Faça uso das informações que tem sobre o universo de brincadeiras do seu filho – ele gosta de animais? Qual o tema do desenho animado favorito? Qual o seu brinquedo favorito? – e articule com o objeto de aprendizado em questão.

Use diferentes mídias para melhor fixar o aprendizado

Crianças aprendem diferente umas das outras. Algumas conseguem aprender sozinhas lendo, outras precisam fazer exercícios, outras ouvindo uma explicação. Descobrir a forma como o seu filho aprende melhor é fundamental.

Busque vídeos online, textos, sites e exercícios que trabalhem o conteúdo de forma mais instigante – não esqueça de averiguar a qualidade deste conteúdo, algo que pode ser discutido com a escola.

Existem diversos vídeos no Youtube tratando currículos inteiros escolares com diferentes propostas – exemplos, animações, exercícios, etc. – e sites com exercícios específicos para crianças.

Explore o conteúdo com metodologias ativas

Metodologias ativas visam eliminar a passividade do ensino e existem muitas formas de fazer isso. Alguns exemplos de como isso pode ser feito:

  • Transforme o momento de aprendizagem em um jogo criando objetivos, regras e recompensas; Existem muitas formas de fazer isso além dos jogos educacionais já prontos, mas isso irá depender da capacidade dos pais de pensar os jogos.

Uma forma simples de fazer isso é transformar a revisão do conteúdo em um jogo de perguntas e respostas ou mesmo um jogo da memória em que a criança tenha que encontrar o par de uma pergunta com sua resposta ou um termo com seu conceito.

  • Crie experimentos práticos e proponha problemas que desafiem a criança; enxergar o conteúdo no mundo real é uma forma muito simples de assimilar o conteúdo. Faça contas de matemática usando frutas de verdade, ensine frações com barras de chocolate quadriculadas, brinque com imãs e bússolas; use tudo à sua disposição para tirar o conhecimento do livro para o mundo real.
  • Peça que crie diferentes formas de explicar o conteúdo que foi aprendido; esta é uma forma simples de aplicar uma estratégia antiga. Aprende-se mais quando se é forçado a transmitir esse conhecimento.

Assim, passe à criança o dever de aprender aquilo para explicar a você depois. O senso de dever, o prazo e a obrigação pelo compromisso irão ajudá-lo a manter o foco.

Faça exercícios para melhorar a capacidade de concentração

Existem vários exercícios específicos que podem ajudar a aumentar a concentração, mas nem todos são fáceis para crianças. A prática da meditação é algo que reconhecidamente melhora o foco, mas fazer uma criança sentar em silêncio por minutos a fim definitivamente não é algo fácil.

No entanto, alguns exercícios são capazes de prender a atenção das crianças para que consigam praticar a concentração:

  1. Jogos para o cérebro: Use caças-palavra, sudoku, palavras-cruzadas, jogos da memória, quebra-cabeça e jogos dos sete erros para exercitar a concentração e o foco. Jogos assim demandam a atenção e a concentração, e criam uma sensação de desafio em que a criança é capaz de avaliar o progresso e se sentir recompensada pela conquista do objetivo no final.
  2. Jogos de tabuleiro: Jogos de tabuleiro são uma forma lúdica de prender a atenção da criança. O foco no jogo de tabuleiro inibe as distrações de elementos mais dinâmicos (celular, televisão e vídeo game) e cobra das crianças o cumprimento das regras e a busca de estratégias para vencer o jogo. Assim, estimula a concentração e a criatividade de forma divertida.
  3. Sequenciamento: Observar, obedecer e criar padrões são uma forma de aumentar a capacidade de concentração. Organizar coisas por categorias, cores, ordem alfabética ou numérica é algo que pode ser praticado de forma cotidiana com brinquedos, livros, roupas e outros elementos no entorno da criança, treinando o foco e o raciocínio lógico. Seguir receitas passo a passo, arrumar a mesa dentro de um padrão determinado, organizar os brinquedos são algumas formas simples de engajar a concentração da criança através de seu cotidiano.

Existem várias estratégias possíveis para engajar a concentração das crianças nos estudos. Lembre-se que crianças são diferentes e o que pode funcionar para o seu filho pode não funcionar com o filho do seu amigo.

Teste estas e outras estratégias e preste atenção em quais conseguem prender mais atenção do seu filho. É importante trocar figurinhas com outros pais e com a escola para ver quais estratégias têm dado certo. Lembre-se que este é um trabalho importante e contínuo e que não existe uma solução mágica!

Você não está sozinho nessa. Ajudar crianças e adolescentes a manter o foco sempre foi um desafio, tornado mais intenso com as novas tecnologias de comunicação.

Os pais possuem um papel preponderante neste processo, seja agindo dentro de casa ou conversando com a escola acerca dos melhores cursos de ação possíveis. Acha que este texto pode contribuir para outros pais? Compartilhe o post com seus amigos e convide-os para trocar experiências sobre o tema.